Sexta, 31 Outubro 2014 16:06

Cachorro é espancado por dono com um pedaço de pau

 

Comunidade se organiza e pede punição para quem maltrata animais

 

O domingo (26) foi de terror para um cão que foi cruelmente espancado pelo dono com um pedaço de pau, em sua residência, localizada na Av. Atlântica em Tramandaí. Protetores e simpatizantes da causa animal registraram o boletim de ocorrência contra o agressor, na segunda-feira (27). Com o intuito de dizer ‘basta’ à violência contra os animais, a comunidade organizou uma manifestação em frente à Delegacia de Polícia, no momento do registro do BO.

O drama do cãozinho começou, por volta das 21h, de acordo como relato de Cintia Rodrigues Pazzin, primeira a atender o animal. Cintia estava em sua página pessoal na internet quando leu o ‘post’ de um amigo dizendo “Alguém sabe onde denuncio um vizinho que acaba de quase matar seu próprio cachorro a pauladas? O bicho ta todo quebrado no pátio e não consegue nem levantar”... A moradora ficou muito chocada com o que leu, conseguiu o endereço do fato e foi até a residência do agressor resgatar o cão. Ao chegar ao local, foi bem recebida pela esposa do homem, que a deixou entrar. “Era muito triste de ver, o cachorro estava deitado sobre jornais, agonizando do lado de trás da casa, sem receber qualquer atendimento”.

O homem justificou o ato aos vizinhos, alegando que o cão estava fazendo buracos no pátio da casa, local em que ele havia enterrado outro cachorro, que teria sido morto atropelado. Tentando punir o cão, por escavar, o morador o espancou com um pedaço de pão, até quase vir a óbito. 

“Era muito triste de ver, o cachorro estava deitado sobre jornais, agonizando do lado de trás da casa, sem receber qualquer atendimento”

Após resgatar o animal, Cintia ligou para a protetora da AIMPA – Associação Imbeense de Proteção aos Animais, para que prestasse os primeiros socorros. Depois, o cão foi levado para uma clínica particular em Osório. O veterinário constatou que o animal estava com hemorragia interna e lesão pneumotoráxica.

Enquanto isso, o morador Roni Dela Pace entrou em contato com a Brigada Militar, que foi até o local, conversou com o agressor e fez o registro dos fatos. “Agradeço ao interesse da BM, que fez tudo que a lei permite”, afirma Pace.

Em repúdio não só ao ato do agressor da Av. Atlântica, mas também, contra a violência animal que vem crescendo na cidade, a comunidade organizou uma manifestação em frente à Delegacia de Polícia de Tramandaí, momento em que foram registrar o BO. Cerca de dez pessoas participaram do ato, munidos de cartazes, com frases como. ‘Toda vida merece respeito’ e ‘maus tratos é crime’.

O delegado Paulo Perez ouviu a todos em sua sala e explicou que o caso seria encaminhado para o Fórum em cerca de dez dias, e o agressor seria julgado pela Lei 9.605, Artigo 32 o qual diz. “Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa”.  O delegado explicou, que nesses casos, geralmente o agressor é incumbido de prestar serviços a comunidade, pagar multa e ainda pode ser responsabilizado por arcar com os custos do tratamento do animal.

A protetora Marelize Bueno, responsável pelo Departamento do Bem Estar Animal de Tramandaí, enfatizou que este não foi um fato isolado. “Este foi mais um caso de violência contra animais, onde as leis não são eficazes no sentido de realmente conseguirem a punição. É preciso aumentar à pena para agressores de animais, e trabalhar na conscientização para que as pessoas entendam que o animal tem sentimentos, ele sente dor, ele sente fome, frio”. Sobre a justificativa do agressor, de que espancou o cão, porque o mesmo estava fazendo buracos, Marelize rebate dizendo que, “este é um comportamento natural do animal, e nada justifica a violência”.

“Este foi mais um caso de violência contra animais, onde as leis não são eficazes no sentido de realmente conseguirem a punição”

A também protetora, Raquel Alves Costa, também fala sobre o crescimento da violência sobre animais e pede maior punição para este tipo de crime. “Muitos animais em Tramandaí sofrem por maus tratos. Acredito que ao invés de cestas básicas os agressores deveriam ser obrigados a pagar ração para as instituições protetoras de animais”. O cão espancado no domingo, ainda está em estado grave, e o homem acusado de agressão, possui mais 16 cachorros em sua residência. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Banneronplay
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br