Sexta, 31 Outubro 2014 16:11

Associação Africanista leva esperança para o Parque dos Presidentes

 

Comunidade acredita que com solidariedade e dedicação é possível mudar vidas

 

A Associação Africanista Ketu e Bantu do Rio Grande do sul foi fundada há um mês e está desenvolvendo um grande projeto para colaborar com a inclusão social da comunidade do bairro Parque dos Presidentes. A Associação ainda está ‘engatinhando’, mas como um bebê que acaba de nascer, já consegue levar sorrisos e esperança para quinze famílias.

De acordo com a presidente da Iniciativa, Joice Cristiane Carvalho Jung, a ideia surgiu em função da necessidade existente no local e da vontade de ajudar o próximo, não só em um momento de dificuldade, mas proporcionando às pessoas ferramentas para que no futuro consigam ‘seguir em frente’ sem o auxílio da Associação. “São nove pessoas envolvidas nesse projeto por enquanto. Todos nós já trabalhávamos com causas sociais há muito tempo, mas decidimos unir forças em prol de um bem comum”, explica.

“São nove pessoas envolvidas nesse projeto por enquanto. Todos nós já trabalhávamos com causas sociais há muito tempo, mas decidimos unir forças em prol de um bem comum”

Hoje, os alunos já estão tendo aulas de capoeira duas vezes por semana, com o mestre Silvio Luiz Santos Marcelo, conhecido como Silvinho Capoeira, ele já trabalhou no programa Municipal Redução de Danos e também é dirigente do MNLM – Movimento Nacional de Luta pela Moradia em Tramandaí. O mestre informa que na primeira aula de capoeira compareceram apenas dois alunos, na segunda vieram oito e agora na terceira aula já são quinze, porém, a ideia é atingir ainda mais estudantes e familiares. “Nosso projeto visa atender 50 famílias, dessa forma, estaremos atingido 250 pessoas, pois nosso trabalho não se restringe à criança e adolescente, nós envolveremos os pais nessa iniciativa”.

E os pais dos alunos já começaram a se envolver nas atividades, é o caso de José Manuel Almeida e Juliana Letícia da Silva Rosa, os filhos Rodrigo 15 anos e Leo 12 começaram a fazer capoeira e eles foram até a Associação para conhecer o trabalho. “É uma ótima iniciativa, ficamos tranqüilos com eles aqui, pois ficam longe dos perigos das ruas”, afirma Juliana.

A representante Estadual do MNLM, Rosemari Fiuza e também presidente do Conselho das Cidades, informa que na terça-feira (14) a Associação recebeu a doação de um forno da Dr Maria Aparecida Finger. Através dessa aquisição, Rosemari irá começar a ensinar as mães dos alunos a fazer diversos tipos de pão, que serão oferecidos às crianças, e posteriormente às mulheres poderão utilizar os ensinamentos em casa para aumentar a renda da familiar. Rosemari também pretende ensinar artesanato para a comunidade e já está participando das aulas de capoeira. “O MNLM é parceiro dessa iniciativa, nós estamos ajudando com a nossa orientação e força de trabalho, pois enxergamos que este é um resgate da cidadania, da história e da cultura afrodescendente, dessa forma, estamos trazendo para Luta pela Moradia a qualidade de vida, essencial para toda comunidade”, afirma Rosimari.

O vice-presidente da Associação, Hamilton Rosa dos Santos, é quem está cedendo o espaço para a realização das atividades. O local que também é uma Casa de Religião afro, está sendo utilizado como palco para o resgate da cultura afrodescendente. “Trabalhamos hoje com a capoeira, mas vamos envolver também a religião, a história, a música afro”, diz Santos. Para conseguir envolver todos esses elementos, está sendo construída uma estrutura com quatro salas, nelas deve haver biblioteca, sala de áudio-visual, ateliê de costura e um espaço reservado para a construção de instrumentos musicais como o tambor o birimbal e o triângulo. “Nossa ideia é fazer um trabalho envolvendo toda a comunidade, nós entraremos nas casas para conversar com as famílias, orientar. Dessa forma, as crianças ficam longe da violência das ruas, da drogadição, e os pais aqui também encontrarão um lugar acolhedor, onde poderão aprender uma nova atividade”.

“Vivenciamos uma realidade difícil aqui no Parque dos Presidentes, e estamos vendo uma chance de mudar a vida dessas pessoas”

Para que este sonho possa se tornar realidade, a Associação busca incentivo da iniciativa pública e privada, para o término das construções das salas e para qualquer tipo de apoio. “Nosso trabalho é totalmente voluntário. Vivenciamos uma realidade difícil aqui no Parque dos Presidentes, e estamos vendo uma chance de mudar a vida dessas pessoas, só precisamos de apoio daqueles que como nós, também querem fazer o bem”. Quem desejar colaborar com as atividades poderá entrar em contato com Hamilton, através dos números (51) 8473.9502 e 9599.7562. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Banneronplay
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br