Sexta, 07 Novembro 2014 16:02

Poda de árvores causa polêmica em Imbé

 

 

Moradores afirmam que verão será insuportável sem a sombra proporcionadas pelas árvores

 

Desde o ano passado, a Administração Municipal de Imbé vem realizando poda e corte de árvores exóticas, como a casuarina. O trabalho que foi feito de forma desproporcional revoltou parte da população. Porém, após receber várias reclamações da comunidade, a Secretaria de Meio Ambiente idealizou um projeto de revitalização, para que sejam plantadas árvores nativas em substituição à vegetação que foi subtraída da cidade.

Decepção, tristeza e indignação foram os sentimentos de parte da comunidade de Albatroz com o corte exacerbado de árvores executado pela Secretaria de Obras e autorizado pela Secretaria do Meio Ambiente. “Esse era um espaço da comunidade, costumávamos nos reunir aqui no verão, para conversar, tomar chimarrão, comer um krepp, mas agora, sem as sombras das árvores, como vai ser?”, questiona o morador Gabriel Lima.

Lima se preocupou com a situação assim que viu o corte das árvores, dessa forma, ele entrou em contato com a Secretaria do Meio Ambiente, que garantiu que fiscalizaria o trabalho para saber se houve alguma irregularidade.  Naquele momento, apenas cerca de metade do serviço havia sido executado. Uma vez no local, os fiscais da prefeitura acreditaram que houve um corte excessivo, apesar de haver alvará legitimando a ação. Eles entraram em contato com quem estava executando o serviço para que o mesmo fosse reavaliado, no entanto, não foi o que aconteceu. “Pensei que parariam de cortar as árvores, mas quando passei na Av. Albatroz no dia seguinte haviam cortado tudo. Além de estragar o aspecto visual da cidade, de retirar a nossa sobra. Árvore é vida, pois produz oxigênio. Sei que era preciso podar as folhas das árvores em função da fiação da CEEE, mas não precisavam cortar tudo como fizeram”, desabafa o morador.

De acordo com bióloga da Prefeitura, Janaina Serpa Groth, as casuarinas, árvores que foram cortadas, só trazem como benefício a sombra, pois não favorecem a flora, fauna, da região quebram o asfalto, além dos galhos provocarem problemas na rede elétrica, pois batem nos fios de luz. Ainda assim, o corte na Av. Albatroz, que foi feito de forma emergencial, foi considerado excessivo pelos ficais do Meio Ambiente, no entanto, como a equipe que realiza a pode já estava com os equipamentos no local, o trabalho foi executado, mesmo sob a advertência da Secretaria.

Outro caso que chamou atenção no ano passado, foi na Av. Mariluz, em novembro de 2014, as árvores foram todas cortadas, pois as raízes estavam quebrando o asfalto. O fato, da mesma forma, revoltou a comunidade. Naquele período, a Secretaria de Meio Ambiente fez um projeto para o replantio de árvores nativas, em substituição da vegetação que havia sido cortada, no entanto, até hoje, nenhuma árvore foi plantada. A bióloga explica, que não houve o plantio porque estava tarefa foi passada a secretaria de Obras, que devido a sobrecarga de trabalho não pode executar este serviço. Agora, com as novas reclamações a Secretaria de Meio Ambiente decidiu tomar esta tarefa para si. No verão será dado um curso para os funcionários da Secretaria de Obras, sobre poda de árvores. E no início do ano letivo serão feitas palestras nas escolas explicando a importância da preservação da natureza. Em maio, época de plantio serão replantadas árvores nativas em todas avenidas que tiveram poda excessiva, incluindo Av. Mariluz, Av. Albatroz, Av. Santa Rosa, Av. Garibaldi e Av. Paraguassú. Janina lembra ainda que as árvores foram podadas também por reclamação da comunidade, pois parte dos moradores, de acordo com ela, reclamam dos galhos batendo nos fios de luz e das raízes que quebram o asfalto. “Nós tentamos contemplar a todos, mas nem sempre é possível num primeiro momento, por isso, estamos realizando este projeto”.

A bióloga também se prontificou a realizar reuniões com a comunidade, juntamente com representantes da Secretaria de Obras, não só para explicar o projeto, como também, para tentar buscar uma solução para falta de sombra onde houve poda em excesso já para este verão, pois as árvores que serão plantadas em maio de 2015, levarão cerca de 2 anos para crescer. A bióloga ainda se coloca a disposição dos moradores, qualquer dúvida pode ser tirada pelo telefone (51) 3627.8555. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Bannerbaixo2
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br