Sexta, 07 Novembro 2014 16:12

Terreno abandonado pode ser causa da violência na rua Salvador Guimarães

 

 

Local é tomado por mato, lixo e é freqüentado por elementos suspeitos, duas jovens já foram atacadas na área, e as casas da redondeza são furtadas constantemente

 

Um terreno particular há cerca de 25 anos está abandonado na rua Salvador Guimarães, o local está tomado pelo mato e pelo lixo, e ainda é se transformou em ponto de drogas e prostituição. Os moradores acreditam também que ladrões e estupradores se refugiem no terreno, pois as casas da rua são furtadas constantemente e duas jovens já foram atacadas naquele local.

A moradora J. B. mora a 26 anos na rua Salvador Guimarães, ela conta que o terreno sempre foi tomado pelo lixo e pelo mato, e que tem medo de sair de casa a noite devido a presença de indivíduos suspeitos no local. “A polícia passa por aqui constantemente, mas não é suficiente, acontece que esse terreno precisaria ser limpo para que pudéssemos viver com tranqüilidade”, ressalta.

A equipe do Jornal Dimensão foi até a rua Salvador Guimarães conferir de perto a situação, ficamos cerca de 1h no local e percebemos intenso fluxo de pessoas com comportamento suspeito, um deles, parecia se abaixar, procurar algo no chão, pegar e guardar rapidamente na carteira.

A moradora N. P. mora próximo ao terreno há 22 anos, ela conta que já teve a residência furtada na semana passada e suspeita que os envolvidos tenham refugiado no terreno após o furto. “Eles conseguiram entortar a grade de ferro do meu portão, levaram eletrodomésticos, eletroeletrônicos, tudo que conseguiram”, lamenta.

N. P. denuncia também o local como possível ponto de prostituição. “Mulheres saem dali ainda ‘ajeitando’ as roupas, na frente de todo mundo”.

Apesar, dos casos de furto serem alarmantes a situação ainda é pior, o morador J. A. que mora na rua Salvador Guimarães há 25 anos, conta que atos de violência ocorrem com frequência em frente ao terreno. “Sempre tem uma confusão ali, acontecem brigas, e coisas mais sérias. No ano passado uma jovem foi atacada no terreno. E no mês passada, tentaram estuprar uma moça ali também, só não aconteceu o estupro porque a comunidade ouviu os gritos da menina e interveio”, explicou o morador.

Os moradores acreditam que se o terreno for limpo, tiver a grama cortada e for devidamente cercado, a violência na região diminuirá, pois, apesar da área ainda não estar cumprindo com a sua função social, deixará de ser refúgio para indivíduos com o comportamento suspeito, sendo que, não teriam o lixo e o mato camuflar qualquer contravenção.

De acordo com a comunidade o caso já foi denunciado ao Ministério Público, para que providências sejam tomadas em relação ao abandono.

A Prefeitura, através da Secretaria de Obras e Limpeza Urbana, é a responsável por fiscalizar e notificar moradores que deixam terrenos em estado de abandono. De acordo com o secretário de Obras Antônio Rodrigues, Tramandaí ainda está sem Central de Entulhos, por isso, não está sendo intensificada a fiscalização, assim que o município tiver um local adequado para colocar os resíduos, será feito um trabalho intenso de conscientização e fiscalização. Contudo, não há um prazo definido para a abertura da Central de Entulhos. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Banneronplay
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br