Sexta, 21 Novembro 2014 17:07

Apenas 20% das câmeras de Tramandaí estão em pleno funcionamento

 

Nenhuma câmera da AMLINORTE está funcionando adequadamente

 

“As câmeras de segurança são muito importantes para o município e já nos ajudaram na abordagem de pelo menos 100 ocorrências durante o verão de 2013”, diz o tenente Robson Minussi, da Brigada Militar de Tramandaí. Apesar da declaração da autoridade, desde o ano passado as 25 câmeras da cidade apresentam sérios problemas por falta de manutenção, e hoje, a polícia só pode contar com o monitoramento de seis equipamentos.

Das 25 câmeras do município, 14 são de responsabilidade da Administração Municipal, através da Secretaria de Segurança, Trânsito e Direitos Humanos e 11 são resultado de um consórcio feito pela AMLINORTE – Associação dos Municípios do Litoral Norte em parceria com o Governo do Estado em 2011.

Dessas 14 câmeras, 4 eram alugadas e já foram devolvidas, outras quatro estão sem funcionar há pelo menos 3 meses por falta de manutenção, sendo que, sobra somente 6 câmeras a disposição da polícia, e dessas uma ainda está com a imagem escura e comprometida. Segundo o chefe de gabinete da Secretaria de Segurança, Cezar Moreira, Tramandaí tinha um contrato com uma empresa responsável pela manutenção das dez câmeras do município e pelo aluguel de mais quatro equipamentos e a Administração Municipal pagava cerca de R$9 mil por mês para empresa terceirizada por este serviço.  Em reportagem realizada pelo Jornal Dimensão em dezembro de 2013 (edição 919), abordamos este assunto e naquele período já havia reclamações e denúncias alertando que as câmeras não estavam tendo manutenção realizada de forma correta. Em janeiro de 2014, o contrato com a mesma empresa foi renovado por ainda mais 6 meses. De acordo com o chefe de gabinete “a renovação ocorreu, pois não houve nenhuma outra empresa interessada em prestar este serviço pelos valores oferecidos pela Prefeitura”.

“a renovação ocorreu, pois não houve nenhuma outra empresa interessada em prestar este serviço pelos valores oferecidos pela Prefeitura”

Há três meses o contrato com a empresa terminou novamente e a Prefeitura está realizando outro processo de licitação para que a nova empresa contratada seja responsável pela manutenção de todas as câmeras e ainda alugue mais cinco equipamentos. No novo contrato, o serviço de limpeza das câmeras deve ser feito duas vezes por mês (no anterior era apenas uma), e caso algum equipamento estrague, os custos serão pagos pela empresa e não pela Prefeitura como era anteriormente. Para a realização deste serviço a Administração Municipal irá investir cerca de R$200 mil por ano. O que dará a média de investimento de R$ 16.500 ao mês. O acréscimo foi de cerca de R$85 mil neste novo contrato em relação ao anterior, esse aumento de verba se deve, segundo ao chefe de gabinete, aos novos serviços citados.

Outro problema grave diz respeito às 11 câmeras da AMLINORTE, pois nenhuma delas está funcionando. De acordo com o tenente Minussi, desde junho deste ano, não é possível contar com essas imagens, sendo que, em 2013 os aparelhos já estragavam com frequência.

“As câmeras de segurança são muito importantes para o município e já nos ajudaram na abordagem de pelo menos 100 ocorrências durante o verão de 2013”

O Comandante Marcelo Vieira da BM de Tramandaí explica que quando estão em funcionamento as câmeras auxiliam bastante o trabalho da Brigada Militar, no entanto, ele admite que os equipamentos se “alternam no funcionamento, pois quando uma funciona, outra apresenta problemas, e assim sucessivamente”.

Viera diz ainda que hoje dois soldados ficam na sala fazendo o monitoramento das câmeras, sendo que um funcionário atua exclusivamente na visualização das imagens em tempo real, e outro policial atende o telefone e também auxilia no monitoramento.

Outra autoridade do município que deveria ter o trabalho facilitado se as câmeras de segurança funcionassem de forma correta é o delegado da Delegacia de Tramandaí, Paulo Perez, pois ele pode solicitar as imagens para auxiliarem na resolução dos casos de incumbência da Polícia Civil, no entanto, a realidade é bem diferente.

“As câmeras da AMLINORTE tem eficiência zero, já as da Prefeitura me auxiliaram em alguns casos, mas nenhuma foi fundamental nas investigações, pois sempre apresentaram algum tipo de problemas”.

O delegado diz que nunca conseguiu contar com a imagem das câmeras da AMLINORTE para auxiliar em nenhuma investigação, pois sempre que foi solicitado as mesmas não estavam funcionando. Já as câmeras da Prefeitura foram utilizadas, porém, segundo ele, os equipamentos apresentam muitos problemas e nunca foram cruciais na solução de nenhum caso. “As câmeras da AMLINORTE tem eficiência zero, já as da Prefeitura me auxiliaram em alguns casos, mas nenhuma foi fundamental nas investigações, pois sempre apresentaram algum tipo de problemas”.

Apesar do estado precário em que se encontram os equipamentos hoje, a Brigada Militar espera que até o verão a situação esteja regularizada. Segundo o tenente Minussi, o novo contrato da Secretaria Municipal de Segurança incluirá também a manutenção de todas as câmeras de Tramandaí, inclusive, as da AMLINORTE. “Temos muitos equipamentos que terão de ser substituídos, mas essa será uma incumbência da nova empresa e esperamos ter a situação regularizada até o início desta temporada”.

Tentamos contato com a AMLINORTE para saber por que as câmeras estão há pelo menos 5 meses sem gerar nenhuma imagem, mas não obtivemos resposta. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Banneronplay
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br