Sexta, 15 Maio 2015 12:02

Emater realiza curso incentivando o cultivo de horta caseira

 

 

Todo ano cada pessoa consome de 5 a 7 litros de veneno que é utilizado nos alimentos para evitar as pragas. Com a horta caseira é possível diminuir drasticamente esses números, e assim, ter uma vida mais saudável

 

O escritório da EMATER em Imbé com objetivo de incentivar as pessoas a produzirem o seu próprio alimento realizou um curso gratuito na terça-feira (12). Durante a atividade, a comunidade pode aprender como fazer a sua própria horta em casa.

O Chefe do Escritório da Emater em Imbé, técnico em agropecuária, graduando em biologia, Flávio José de Souza Junior, foi um dos organizadores do curso. Ele explica que a primeira coisa que a pessoa deve fazer quando decidir ter uma hora em casa é escolher bem o local, de preferência que seja virado para o Norte, pois assim, as plantas têm 6h de sol por dia. A segunda dica do técnico é optar pelas folhosas como alface, couve, rúcula, tempero verde, cebolinha, salsa, alecrim, pois se adaptam melhor ao solo do Litoral Norte.  É importante cuidar também da drenagem do solo, como explica Junior. “Nossa terra é muito úmida, uma das soluções para drenagem é levantar o canteiro, assim as plantas não ficam tão expostas. Outra forma é construir uma valo do lado da hora, mas para isso, o terreno precisa ser grande”.

“Nós não vamos até o mercado e pedimos um veneno, nos compramos uma alface que vem com o agrotóxico. compramos a rúcula, os temperos, todos envenenados, se produzirmos nossa própria salada já será uma grande ajuda para saúde”

A dica mais importante, segundo o técnico da Emater, é usar material orgânico para fazer o adubo, como a grama que é cortada no pátio, juntamente restos que sobram na cozinha, como, casca de laranja, banana, bergamota e pé de café. “Tudo isso vira um ótimo adubo”, afirma.

Para proteger as plantas das pragas, o recomendado é construir compoteiras de tijolo em formato circular com cerca de 1 metro de diâmetro, “pode ser feita com tijolos, nem precisa de cimento, só colocar os tijolos com furos um ao lado do outro. É importante também observar as plantas, se elas estiverem sadias, dificilmente as pragas irão atacar”, explica.

Junior lembra ainda que cada pessoa ingere de 5 a 7 litros de veneno por ano, e com a horta em  casa esse número é reduzido drasticamente. “Nós não vamos até o mercado e pedimos um veneno, nos compramos uma alface que vem com o agrotóxico. compramos a rúcula, os temperos, todos envenenados se produzirmos nossa própria salada já será uma grande ajuda para saúde”, conclui.

Maria Mafalda, mora há seis anos em Imbé e foi uma das pessoas da comunidade que participou do curso, ela gostou muito da iniciativa e conta que já possui a horta caseira e que decidiu participar da ação para poder aprender mais. “Quando vi nascendo o tomatinho cereja pela primeira vez fiquei encantada. Hoje já planto couve, alface, tomate, tempero verde, e até minha saúde melhorou”, conta a moradora. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Bannerbaixo2
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br