Sexta, 19 Junho 2015 13:04

UPA deve ser inaugurada em setembro

 

Burocracia novamente adia a inauguração da Unidade de Saúde de Tramandaí

Desde 2013 a população de Tramandaí espera ansiosa pela inauguração da UPA – Unidade de Pronto Atendimento, a última previsão era que o local começaria a funcionar em abril deste ano, no entanto, em função de problemas na licitação para a compra dos equipamentos, houve novo adiamento, e agora a expectativa é que a Unidade esteja em pleno funcionamento em setembro.

“A comunidade está ansiosa pela abertura da UPA, há muito tempo estamos esperando a inauguração da Unidade, e é só decepção. A última previsão era que ficaria pronta em abril, já estamos em junho e nada”

A história da UPA de Tramandaí começou a ser contada em julho de 2012, quando ‘o primeiro tijolo’ foi posto na construção do que prometia ser, se não a solução para Saúde no Município, algo próximo a isso. Com cinco consultórios, sala para classificação de risco, eletrocardiograma, raio xis, local para pronto atendimento preparado para receber a ambulância, sala de observação em que os pacientes poderão ficar até 24h recebendo atendimento, três clínicos gerais e um pediatra 24h, a UPA ainda segue sendo a esperança da população, como conta Alceu Araújo que mora em Tramandaí há mais de 30 anos. “A comunidade está ansiosa pela abertura da UPA, há muito tempo estamos esperando a inauguração da Unidade, e é só decepção. A última previsão era que ficaria pronta em abril, já estamos em junho e nada. A Saúde de Tramandaí vai melhorar e muito com a UPA, por isso que faço essa cobrança”.

Analisando todos os ‘capítulos’ que rodearam o ‘enredo’, UPA Tramandaí, vemos que o primeiro empecilho na construção da Unidade foi que o planejamento estipulado pelo Ministério da Saúde não era compatível com a realidade do Litoral, e foi preciso rever todo o processo de construção. Hoje, a UPA está com a construção concluída, com os móveis comprados, e o que continua atrapalhando a tão esperada inauguração da Unidade de Pronto Atendimento é o processo burocrático.

“A UPA de Tramandaí irá ser inaugurada e ficará a disposição da população, diferente de muitas outras Unidades de Pronto Atendimento do Estado, que estão prontas e não podem funcionar por falta de recursos para manutenção, ou que ainda não conseguiram ser concluídas, por não terem recebido verba do Estado, caso que não aconteceu com Tramandaí”

Segundo o secretário de Saúde, Mario Morita, foi feita a licitação para a compra dos equipamentos, no entanto, o Departamento Jurídico da Administração Municipal precisou reformular a documentação, pois havia alguns erros, nesse meio tempo, os aparelhos licitados subiram de valor, e precisou ser feita nova licitação com os valores atualizados. Agora, a maioria dos equipamentos médicos já foram licitados, e a empresa vencedora possui 60 dias para fazer a entrega. No entanto, o CR – Processadora de Raio X, que custa em torno de R$100 mil, único aparelho ainda não adquirido, teve licitação deserta, ou seja, nenhuma empresa se candidatou a vender o equipamento, pois o valor oferecido pelo poder público foi muito baixo. Agora, nova licitação está sendo preparada para a compra desse aparelho, com um valor mais alto.

Devido a essa complicação, a nova previsão do secretário de Saúde é que a UPA esteja em pleno funcionamento em setembro deste ano. O secretário diz ainda que apesar de todos os ‘percalços no caminho’, “A UPA de Tramandaí irá ser inaugurada e ficará a disposição da população, diferente de muitas outras Unidades de Pronto Atendimento do Estado, que estão prontas e não podem funcionar por falta de recursos para manutenção, ou que ainda não conseguiram ser concluídas, por não terem recebido verba do Estado, caso que não aconteceu com Tramandaí”.

A fala do secretário se dá pela forma que a UPA deve ser mantida, ou seja, com 50% do custeio com recursos Federais, 25% Estaduais e 25% Municipais. Para o Município receber o dinheiro para manter a UPA, ela primeiro precisa estar qualificada, quer dizer, em pleno funcionamento. Assim que a UPA estiver funcionando, a Secretaria Municipal de Saúde, deve receber mais R$ 300 mil da União, e R$ 150 mil do Estado por mês para manter a Unidade, e a Prefeitura entrará com cerca de R$200 mil.

Muitos Municípios do Estado não estão preparados para arcar com essa despesa, diferente de Tramandaí, que por já ter o custeio do Posto 24H do Centro e do São Francisco II, poderá transferir a verba já gasta nesses locais com a UPA. Ainda segundo Morita, após a inauguração da Unidade de Saúde, o posto 24H irá concentrar as especialidades médicas que hoje estão ‘espalhadas’ em diferentes pontos do Município, e o Posto São Francisco II será utilizado para outras necessidades da Administração Municipal, já que o PACS – Plano de Agentes de Saúde, que hoje atua no local, será transferido para a rua Vergueiros.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Bannerbaixo2
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br