Sexta, 06 Maio 2016 18:00

Mães falam sobre a alegria e responsabilidade da maternidade

 

Independe do momento da vida em que chegam filhos sempre trazem aprendizados e surpresas

 

O Dia das Mães é comemorado sempre no segundo domingo de maio, este ano a data cairá no dia 8, essa é uma grande oportunidade para homenagear aquelas mulheres que nem sempre acertam, no entanto, até quando erram o fazem com o amor, pois tudo o que desejam é a felicidade dos filhos.

Ser mãe é uma das ações mais lindas e mais difíceis, pois não há nenhum curso preparatório para a tarefa, ou regras que sejam totalmente certas para saber qual a melhor forma da criar os filhos. Sendo assim, as mulheres buscam de forma incansável uma ‘receita’ para fazer dos seus ‘bebês’ pessoas batalhadoras, honestas e sensíveis a dor do próximo. Sejam planejados ou não, os filhos sempre abrem para as mães um ‘mundo novo’ cheio de mistérios, amor e responsabilidade.

“Quero que o seu primeiro passo seja para os meus braços, pois o amor de mãe é o mais puro e sincero. Estou amando essa nova fase da minha vida, ser mãe de menina é maravilho, amo minha filha”

Para Ketlin Oliveira de Borba, 19 anos, a maternidade surgiu no final da adolescência, aos 18 anos, de forma inesperada. Quando a pequena Laís nasceu Ketlin namorava e estava cursando o Ensino Médio, em função da gravidez a menina pensou em deixar a escola, mas devido ao apoio dos pais e do namorado ela pode continuar estudando, e hoje divide a vida entre o EJA – Ensino de Jovens Adultos e os cuidados da nenê. A mãe fica com a bebê enquanto Ketlin está em aula, ainda assim, é difícil manter a mesma rotina de antes da gravidez. “Eu consigo freqüentar as aulas, mas não tenho tempo de fazer os temas de casa”, salienta.

A nova mamãe adora estar junto com a filha, que hoje tem 6 meses, mas já senti o peso das responsabilidades, e acredita que a preocupação vai aumentar quando a pequena for adolescente, ainda assim diz que um dos melhores momentos de sua vida foi quando viu a filhinha pela primeira vez porque se sentiu especial. “Chorei quando olhei para a Laís, disse para o pai dela como ela era linda, passamos a mão na cabeça dela, demos um abraço e um beijo”, diz.

Apesar da pouca experiência como mãe, Ketlin tem certeza de que a filha crescerá com muito amor, e que sempre há irá acompanhar nos momentos bons e nas situações difíceis. “Quero que o seu primeiro passo seja para os meus braços, pois o amor de mãe é o mais puro e sincero. Estou amando essa nova fase da minha vida, ser mãe de menina é maravilho, amo minha filha”.

Para Solange Barbosa de Almeida, 54 anos, a maternidade veio em uma situação diferente aos 26, ela já era casada e há 4 anos tentava engravidar. “Fiz todos os exames e segui as recomendações médicas e de amigos e nada dava certo, um dia esqueci, me distrai com minha cachorrinha que tinha engravidado e eu cuidava dos filhotes, quando vi estava grávida do Jorge Luíz nem acreditei. Logo em seguida nasceu também o Paulo Roberto, com um ano e alguns meses de diferença”.

Durante a gravidez Solange trabalhava como professora concursada e quando o menino mais velho estava com dois anos ela decidiu pedir demissão para ficar mais perto dos filhos. Quando as crianças estavam em idade escolar ela fez novamente um concurso público, passou em 2º lugar e voltou a trabalhar. “Não me arrependo de ter ficado esse tempo com eles, foram anos maravilhosos”, salienta.

Solange ressalta que apesar da maternidade ser mágica há muitos momentos difíceis, “muitas vezes não tinha quem ficasse com eles, morria de preocupação quando estavam doentes, mas tudo compensa”.

A mãe ressalta que sempre foi muito amiga dos filhos, mas soube equilibrar a amizade com os limites, no entanto, admite que essa não é uma tarefa fácil. “Acho que não existe uma receita certa, cada pessoa tem o seu jeito, eu consegui criar filhos maravilhosos com muito diálogo, amor e disciplina, dando sempre o exemplo para que se espelhassem na minha postura e ensinando o respeito aos mais velhos e o amor aos animais”. A família tem seis gatos e um cão, todos eram animais de rua.

“Sei que independente de onde eles estiverem o amor será o mesmo, e vai chegar o dia em que eles sairão de casa, e tenho que estar pronta para ‘abrir as asas’, vai ser difícil, mas essa é a vida, e estou feliz por ter tido a sorte de ter filhos tão incríveis”.

Hoje Paulo Roberto tem 26 anos e Jorge Luiz 28, um deles já é formado em direito o outro se formará na mesma profissão em breve, ambos trabalham em um escritório de advocacia em parceria com o pai, ex-marido de Solange, e ela hoje, se prepara para o momento em que os filhos vão ‘sair definitivamente de suas asas’ e ‘ganhar’ o mundo.

“Eu me preparo saindo com minhas amigas, aproveitando o tempo comigo mesma, amo a minha companhia, os meus livros, sou escritora, adora escrever e estar no meu canto. Acho que ‘amar estar comigo’ é uma forma de me preparar”, afirma a mãe, que complementa, “Sei que independente de onde eles estiverem o amor será o mesmo, e vai chegar o dia em que eles sairão de casa, e tenho que estar pronta para ‘abrir as asas’, vai ser difícil, mas essa é a vida, e estou feliz por ter tido a sorte de ter filhos tão incríveis, confio neles e sei o quanto são responsáveis, amáveis, sei que seguirão um bom caminho”. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Bannerbaixo2
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br