loader
Unesco reconhece Caminhos dos Cânions do Sul como geoparque mundial

Unesco reconhece Caminhos dos Cânions do Sul como geoparque mundial

Geoparque inclui sete municípios: Cambará do Sul, Mampituba e Torres, no RS, além de quatro cidades de SC.

A Unesco, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, reconheceu os Caminhos dos Cânions do Sul como geoparque mundial. Com a distinção, as regiões da Serra e do Litoral Norte entram no mapa internacional de destinos que são exemplos de gestão sustentável e abre, portas para impulsionar o turismo.

O geoparque Caminhos dos Cânions inclui sete municípios: Cambará do Sul, Mampituba e Torres, no Rio Grande do Sul, além de quatro cidades de Santa Catarina. Os representantes da Unesco visitaram a região no fim do ano passado.

"Já está impactando na região muito positivamente, porque o projeto geoparque valoriza sobretudo o geoturismo, com toda sua amplitude como geologia, estudo da história, da cultura, incentiva o comércio local, o produtor local", destaca Carlos Souza, presidente do consórcio Intermunicipal Caminhos dos Cânions do Sul.

Uma verdadeira vitrine para o mundo conhecer as belezas naturais que têm origem há mais de 100 milhões de anos, e que coloca áreas do RS no radar internacional dos destinos turísticos de natureza e aventura.

"Exatamente neste território, no território dos geoparques, esse vulcanismo resultante dessa separação continental está registrado de uma forma espetacular. Além disso, ela é rica em paleotocas, que são estruturas que foram escavadas na rocha por animais da megafauna, de grande proporções, como preguiças gigantes, que chegavam a ter até mais de quatro metros", comenta Andrea Sander, geóloga do Serviço Geológico do Brasil.

Com o reconhecimento, o Brasil passa a ter três geoparques. "É um registro geológico único no mundo, senão ele não teria recebido a chancela da Unesco", acrescenta Andréa.

Oportunidades no turismo

O trabalho para reconhecer o Caminho dos Cânions como geoparque nacional, porém, começou há 10 anos, com estudos do serviço geológico do Brasil.

"Coloca principalmente o turismo do Rio Grande do Sul em outro patamar, porque um reconhecimento dessa magnitude, de relevância internacional, atrai não só turistas, que buscam experiências nesse sentido a nível internacional, mas principalmente de investidores nacionais e até estrangeiros", ressalta Raphael Ayub, atual secretário de Turismo do RS.

A expectativa é grande entre empresários de Cambará do Sul, onde ficam os parques nacionais de Aparados da Serra e da Serra Geral. As áreas dos cânions Fortaleza e Itaimbezinho foram concedidas à iniciativa privada em outubro do ano passado.

"Isso é uma perspectiva grande. Vai ser um boom para nós aqui, comerciantes e empresários. Vai ter uma qualidade de vida muito melhor para Cambará do Sul. De agora em diante, a curto prazo, vai ter retorno quanto a isso. Para os empresários, para toda a população é uma vitória de extrema importância para nós", avalia Alexandre Moreira, presidente da Associação dos Empreendedores de Cambará do Sul.

"Vamos formar esforços com esta região para que a gente possa contribuir com essa diversificação das atividades, essa qualificação dessas atividades, a qualificação das pessoas, dos entornos, para estarem aptas a participarem dos parques e o desenvolvimento sustentável", complementa Vaniza Schuler, consultora de Relacionamento com Mercado e Parcerias da Urbia Cânions Verdes.